sexta-feira, 30 de maio de 2008

Operação Bomba: Presa em Londrina quadrilha acusada de falsificar remédios

video


Uma ação conjunta da Polícia Federal (PF) e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), batizada de Operação Bomba, resultou na prisão ontem, 29/05/2008, em Londrina/PR de nove integrantes de uma quadrilha que falsificava medicamentos. Duas farmácias foram interditadas. Na maioria dos casos, a quadrilha comprava matéria-prima no Paraguai e a fracionava em um apartamento localizado no Jardim Nova Olinda (zona norte). Depois, o material era colocado em embalagens falsificadas de medicações famosas e revendido para todo País. Os integrantes do grupo são acusados dos crimes de formação de quadrilha, descaminho e falsificação de medicamentos, que têm pena prevista de 10 a 15 anos de reclusão.

Na casa de Carlos Alberto Soares Ramos Junior, um dos presos e líder da quadrilha, a polícia encontrou centenas de frascos, flaconetes e comprimidos dos mais variados medicamentos. Foram apreendidos esteróides anabólicos endógenos de uso humano e veterinário, estimulantes, inibidores de apetite, suplementos vitamínicos e Pramil (estimulante sexual de origem paraguaia), todos falsificados ou adulterados. Embalagens de medicamentos, que seriam usadas para comercialização, também foram apreendidas.

Junior era investigado desde julho de 2007, quando a Polícia Federal apreendeu, na residência dele (zona norte), grande quantidade de anabolizantes, consumidos por pessoas que desejam obter ganho de massa muscular mais rapidamente. Seu uso sobrecarrega o fígado e pode levar à morte, segundo o delegado-chefe da PF, Evaristo Kuceki. “Muitas pessoas que usam anabolizantes veterinários sabem que é produto para cavalos, mas usam assim mesmo”, disse.

Farmácias

Ontem pela manhã, duas farmácias foram interditadas, uma na Vila Casoni (região central) e outra na Avenida Saul Elkind (zona norte). Os dois estabelecimentos pertencem à mesma pessoa, que foi localizada e presa pelos policiais federais. Na farmácia Keyla, na zona norte, os fiscais da Anvisa, acompanhados pela PF e pela Vigilância Sanitária do Município, encontraram notas fiscais referentes à compra de anabolizantes e muitas cápsulas de Pramil.

Além disso, o estabelecimento não possui farmacêutico responsável, autorização municipal, nem federal para funcionar e havia, no local, medicamentos controlados sem registro na Anvisa. “Esse estabelecimento tinha pendências com a Vigilância local e hoje constatamos irregularidades gravíssimas”, afirmou o coordenador da Vigilância Sanitária, Rogério Lampe. A comercialização de anabolizantes é permitida quando há prescrição médica para corrigir, por exemplo, disfunção hormonal - a receita deve ficar retida na farmácia.

Segundo informações da assessoria de imprensa da Anvisa, em Foz do Iguaçu/PR, a PF cumpriu três mandados de busca e apreensão em uma farmácia e duas residências - uma pessoa foi presa. Em Farroupilha, a Polícia Federal prendeu outro integrante da quadrilha.

video

Nenhum comentário: